Menu

História sobre a criação de Os Guerreiros do Universo

Tudo começou na época entre o final de 2007 e início de 2008, quando eu estava mexendo numas coisas minhas que estavam guardadas, e acabei encontrando os rascunhos com “Os Guerreiros do Universo”, guardado… há anos!


Mas esperem! Antes de continuar, preciso contar a vocês sobre o que influenciou-me e inspirou-me, desde criança, a tornar-me um criador de histórias. Sendo assim, senta que lá vem a história. Há muito, muito tempo atrás, lá pelo final dos anos 80 e início dos anos 90…


Capítulo 1

Um garotinho que gostaria de ser o Fantástico Jaspion
Pelo período de minha infância, entre os 5 e 9 anos, eu adorava ver desenhos animados e seriados. Eu gostava muito de assistir ao He Man, Thunder Cats, As Aventuras do Pequeno Príncipe, dentre outros.  Também era fã dos Tokusatsus japoneses como o Jaspion, Changeman, Flashman e Jiraiya. Além de gostar das histórias e combates, aprendi bons valores com esses desenhos, os quais decidi retribuir através de meu trabalho: Levar uma mensagem positiva às crianças, jovens e também adultos, através dos acontecimentos e histórias vividas pelos personagens de “Os Guerreiros do Universo”.

Capítulo 2

Ginásio, videogames, soldadinhos, robôs e Cavaleiros do Zodíaco
Posteriormente, creio que entre meus 10 e 14 anos, muitas influências novas surgiram. Foi quando eu ganhei o meu primeiro videogame, um Master System da Tectoy! Lembro-me muito bem dos desafios que passei ao lado de Sonic para derrotar aquele miserável Dr. Robotnik. Depois de algum tempo troquei meu Master System por um Super Nintendo. Pois, no meu círculo de amizades, a maioria desejava ter um desses. Cara, agora eu podia jogar Mário, Donkey Kong, Street Fighter e um Mortal Kombat mais top. Nessa época, os Fliperamas eram a onda do momento. Haviam muitos em casas de jogos, e a maioria dos bares possuíam pelo menos um. Pertinho de casa havia um local com muitos deles, que tinham jogos bem legais, inclusive, The King of Fighters ’94!

Outra coisa que eu adorava era brincar com meus bonecos de soldadinhos e guerreiros, carrinhos, robôs, e também montar casas, naves espaciais e castelos com o Lego. Criava personagens, mundos e reinos com esses brinquedos, inventando muitas histórias, que sempre continuavam a cada dia, como se fossem capítulos! Deixava minha imaginação à solta, e me divertia muito com isso.


Durante essa época, eu e meus amigos do ginásio éramos fãs dos Cavaleiros do Zodíaco, que passava ao final da tarde na extinta rede Manchete. Não perdíamos um capítulo! E quando saiu os álbuns e as figurinhas que vinham em balas de morango, começamos a colecionar. Comprávamos caixas de balas para completar os álbuns.


Capítulo 3

Histórias em quadrinhos e Dragon Ball-Z
Uma época eu comecei a fazer histórias em quadrinhos humorísticos. Foi no final do ginásio, pelo que me recordo. Porém, no início do colegial, deixei isso de lado. O tempo passou, o bug do milênio também e, no último ano do segundo grau, comecei a assistir o desenho do Dragon Ball-Z. Voltara finalmente a ver um desenho animado que me inspirasse. Com isso, senti-me novamente motivado a inventar minhas próprias histórias e personagens. Então pensei em voltar a desenhar quadrinhos, mas desta vez não eram humorísticos. Eram sobre lutas, aventuras e guerreiros! Sim! Guerreiros de várias raças e mundos, viajando, combatendo e se aventurando pelo Universo afora. Criei alguns personagens e uma pequena história sobre cada um deles. Surgiram então, pela primeira vez, Os Guerreiros do Universo!

Mas como percebi que não tinha talento para desenhar esse tipo de quadrinhos, guardei o material, que ficou esquecido por anos!


Após essa breve história de três capítulos, vamos voltar ao início do assunto. Pois bem, eu havia dito que encontrara, entre o final de 2007 e início de 2008, os rascunhos que fizera de “Os Guerreiros do Universo”. Eles datam do ano 2000, pelo que parece.


Daí eu tive a ideia: “Puxa vida, isso ficaria incrível como um desenho animado, um Anime Japonês… E como fazer isso?”. E então eu pensei: “Posso começar com os quadrinhos mesmo”. Mas eu não sabia desenhar. Foi então que a ideia surgiu: “Eu poderia colocar isso num livro. Já que eu leio muitos livros, e gosto muito de leitura, eu vou escrever um livro”.


Pelo visto, já perceberam sobre o que eu vou falar agora. Sim, sobre o meu livro. E por isso, creio que o final dessa história mereça os capítulos finais. Vamos lá então!


Capítulo 4

Colocando a mão na massa para fazer o sonho
No ano seguinte, em 2009, dei início ao projeto “Os Guerreiros do Universo”, o qual eu já estava mentalizando no ano anterior. Aqui, finalmente, graças a Deus, encontrei o que eu queria de coração. Nessa época eu estudava engenharia, inglês, praticava Kung-Fu e desenvolvia um negócio próprio.

Fiz o planejamento. Comecei a fazer uns estudos, coisa básica, sobre astronomia. Durante seis meses seguidos fiz os personagens e estruturei a história. Fazia em média, um personagem por dia, usando em torno de uma hora e meia de meu apertado tempo. E em agosto escrevi as primeiras páginas de “Os Guerreiros do Universo e O Abalo de Urano”. Trabalhava em torno de 4 horas por dia para escrever em média 2 páginas. Pensava comigo mesmo: “Que incrível! Havia sido eu que acabara de escrever aquilo?”. É um trabalho prazeroso, mas também cansativo.


Capítulo 5

Esculpindo um diamante
E finalmente, após 11 meses, em julho, no dia de meu aniversário, escrevi as últimas páginas e finalizei a obra. Esse foi um grande presente. Agora eu precisava encontrar alguém para revisá-lo. Através de indicações cheguei até a professora Marília. Eu falei que era um autor da cidade, e ela disse que teria o maior prazer em rever o meu livro. O dia em que levei o manuscrito para ela, senti-me muito bem e harmonizamo-nos facilmente, pois parecia até mesmo que já éramos amigos de longas datas. Então deixei uma parte do trabalho, pois eram 466 páginas escritas à mão em folhas de fichário, e ela começou a revisar. Enquanto isso, eu terminava de digitar o restante do livro no computador. Era um trabalho maçante e cansativo.

Antes, durante e após o período de digitação eu também fazia a revisão da história. E esse foi um trabalho muito detalhista e cansativo, e acredito que até mais do que ter escrito o próprio livro. Aos poucos, a Marília revisava o restante. Eu analisava todas as correções que ela fazia. Era um trabalho de formiguinha, acertava e tirava as dúvidas dos mínimos detalhes, de um mísero acento que fosse. Tudo tinha que sair o mais perfeito possível. E saiu, quando terminou a revisão!


Capítulo 6

Das palavras e rascunhos aos desenhos
Em meados dessa época, as imagens dos personagens que estavam em minha mente, tomaram forma e cores no papel com o maravilhoso trabalho do Cirillo e da Letícia Tangerina Bruno. Esse foi outro trabalho bem detalhista. Eu passava minuciosamente as informações de cada um dos personagens, de como eu queria, e eles desenhavam e aperfeiçoavam os detalhes. No começo a Letícia não tinha experiência em desenhar animes. Mas eu acreditei no trabalho dela. O resultado ficou melhor do que o esperado. E com a excelente pintura do Cirillo, os personagens ficaram prontos e realmente ganharam vida. Fiquei fascinado com o trabalho deles. Diante dos meus olhos humanos eu via os personagens de Os Guerreiros do Universo. Os mesmos, que antes eu imaginara, estavam agora ali no papel, e com maior nitidez!

Capítulo 7

Do sonho à realização
Depois disso chegara a hora de produzir o livro. Procurei algumas editoras e também formas independentes para lançá-lo. Mandei a proposta para algumas, não lembro-me o número exato, acredito que em torno de umas sete, porém, nenhuma fora aprovada (aliás, uma aprovou, porém acabei não enviando o original). Foi então que, a Mirella Ferraz, conhecida como Sereia Brasileira, indicou-me a Editora Novo Século, pela qual havia lançado seu livro, “Sereias O Segredo das Águas”. Então, enviei a proposta para a editora. Logo, foi aceita. Depois enviei a obra para aprovação e fiquei na expectativa.

Em torno de uma semana depois, recebia a notícia de que minha obra fora aprovada para ser lançada pela Editora Novo Século com o selo Novos Talentos. Fiquei muito feliz, e agradeci a Deus de coração. Logo, assinei o contrato com a editora. E, então, a produção de meu livro começou a ser realizada!



É isso aí pessoal! Esta foi uma breve história sobre o início de um sonho que está se realizando. Digo “realizando”, porque “Os Guerreiros do Universo” será uma série e, portanto, seguirá com a continuação nos próximos volumes. “O abalo de Urano” é somente o início. No momento, estou trabalhando no segundo livro.


Se quiser conhecer mais sobre mim e meu trabalho, acesse www.andersonvitorello.com. Lá você verá as fotos dos eventos, minha biografia, conhecerá o livro, os personagens e outras coisas mais. O site é bem legal, agradável e fácil de visualizar.


Obrigado por sua atenção colaboração e audiência! Logo iniciarei uma série de postagens com um conteúdo extremamente valioso para quem deseja tornar-se um(a) escritor(a). Aguarde. Nos vemos em breve!


Aqui abaixo você encontra os botões para compartilhar essa postagem no seu Facebook, Twitter, Google Plus, Pinterest ou E-mail. Permita que seus amigos também tenham acesso! Sinta-se à vontade.


Um grande abraço a todos!

 

Mecatrônico por formação e escritor por vocação, leitor de livros, aprendiz de piano, compositor, ex-vocalista de banda de Rock (um dia eu volto), faixa preta 1° dan de Kung Fu e fã de desenhos, filmes e séries de ficção, fantasia e daquelas pessoas/criaturas com superpoderes… ah, e não esqueça-se dos robôs.

Receba as novas postagens por E-mail

Quem Escreve no Blog

Anderson Vitorello
Renan Santos

Recent Tweets

Adquira Os Guerreiros do Universo autografado pelo autor!